Inclusão na Fashion Week


Finalmente ficou no passado a história de que para desfilar tem que ser a mulher padrão: alta, magérrima e com medidas “perfeitas”. Um novo movimento tem surgido nas passarelas, e também fora delas, para incluir todos os tipos de corpos e mostrar que o belo vai muito além de padrões. Mulheres baixas, plus size, cadeirantes, com deficiência visual e tantas outras particularidades têm aparecido cada vez mais nas passarelas mundiais mostrando que somos todas diferentes, porém igualmente lindas. Samanta Bullock, ex-atleta e campeã mundial de tênis, agora modelo cadeirante é uma das 100 pessoas com deficiência mais influentes do Reino Unido, tem papel fundamental para a expansão da consciência na moda. Além de viajar o mundo palestrando e desfilando, organiza desde 2021 o London Represents, desfile que acontece durante a Semana de Moda de Londres, com o intuito de apresentar produtos pensados para pessoas com as mais diversas deficiências. Fazem parte do show desde lingeries confortáveis, lindas e práticas, roupas para mulheres de todas as alturas e até bolsas com suportes removíveis para pendurá-las na cadeira de rodas ou mesmo naquele banco no barzinho do happy hour, visando facilitar o dia a dia não só do público alvo, mas literalmente todas! A Amar.te, por exemplo, faz um trabalho merecedor de palmas. Ao incluir em seus produtos etiquetas de tamanho e cor em braille, nos faz pensar o quanto a indústria da moda ainda tem que evoluir e procurar solucionar dificuldades diárias de milhares de pessoas.

Como estilista sempre tive uma lacuna a ser preenchida no coração… faltava algo e consegui me completar ao iniciar junto à Samanta a coleção das bolsas para o London Represents. Sempre digo que eu não vendo bolsas. Eu vendo autoestima, felicidade e bem estar. Ao desenhar cada peça, minha intenção é sempre incluir e nunca segregar. É trazer segurança e autoconfiança para toda mulher que usar uma {E} PORTARE. Pensar em soluções que facilitem e encantem, sem deixar a beleza de fora é o que mais me realiza. Na última coleção, fizemos uma bolsa com um visor externo para que seja possível tocar a cadeira de rodas e ver o celular sem precisar segurá-lo, mas também igualmente funcional para que qualquer mulher possa checar as últimas atualizações com segurança e também muita praticidade. Sabe aquela viagem com muitos pontos turísticos a conhecer e que estamos sempre verificando o mapa no celular? Agora ele pode continuar dentro da sua bolsa. Moda inclusiva de verdade é essa: para todos. Ao furar a bolha e entrar de cabeça nesse mundo, descobri uma frase que me fez refletir. Deixo-a agora aqui para que você, meu leitor, também possa entender essa magia: “Diversidade é convidar para a festa, inclusão é chamar para dançar!”















0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo