Milhares De Moçambicanos Recebemalimentos De Plantio Sustentável - Veridiana Jordão



Fraternidade Sem Fronteiras atua há mais de 10 anos no Brasil e na África. São 30 centros de acolhimento e o objetivo da Fraternity Without Borders é fornecer alimentação, reforço escolar e desenvolver projetos sustentáveis que tragam uma melhor qualidade de vida para os acolhidos da região. No Reino Unido, todas as doações são direcionadas para o projeto Acolher Moçambique.


Um dos projetos que a Fraternidade Sem Fronteiras desenvolve é a ação de plantio no centro de acolhimento de Muzumuia, em Moçambique (África). A iniciativa veio para dar sustentabilidade ao Projeto Acolher Moçambique e fortalecer as refeições diárias de 14 mil adultos e crianças acolhidos pelo projeto.


De acordo com a coordenadora do projeto e de sustentabilidade do Acolher Moçambique, Priscila Alexandre, a ideia dos cultivos existe desde o início de 2017. Mas foi com as restrições na pandemia, em 2020, que intensificaram os trabalhos

nas machambas.

“A questão do plantio começou a ficar cada vez mais presente, por conta da necessidade de plantar em uma escala maior devido à redução de doações durante a pandemia. Nós focamos no plantio de alimentos básicos como feijão, milho, alho e cebola que são essenciais nas refeições diárias distribuídas,” afirmou.


Durante a pandemia, o Projeto Acolher Moçambique precisou interromper o preparo das cinco refeições que eram distribuídas semanalmente e começou a fornecer os alimentos apenas três vezes 31 por semana. “A necessidade de atender a comunidade

fez com que os centros da FSF intensificassem ainda mais os trabalhos nas áreas de plantios. Desta forma, esperamos suprir o impacto que sofremos na parte financeira durante a pandemia”, explicou Priscila.


A atividade de plantio também ganhou força com a doação de um trator feita por um padrinho da FSF e com aprimoramento de irrigação na região. Durante uma conversa com a associação de moradores e trabalhadores, a FSF conseguiu uma área de 23 hectares em Muzumuia e de 15 hectares em Barragem, ambas aldeias moçambicanas.


De acordo com Priscila, a expectativa para 2022 é plantar para ter a colheita no próximo ano. Este plantio vai garantir maior sustentabilidade no projeto na área da alimentação e vai diminuir o impacto das restrições da pandemia.


Todos podem fazer parte desta rede de ajuda


O DJ Alok é padrinho e amigo da causa FSF desde 2018. O artista já esteve quatro vezes na África acompanhando projetos da Fraternidade sem Fronteiras e em uma das visitas, ele fez um show para 8 mil pessoas e doou todo o cachê para a Organização. Em março, Alok encontrou o coordenador da FWB, Gilson Guimarães, antes de se apresentar na casa “Ministry


of Sounds”, em Londres. Durante o encontro, o DJ Alok falou sobre a importância desta corrente de amor e bem da FSF em prol de quem mais precisa de ajuda no mundo. "E o que é mais bonito é que realmente qualquer pessoa pode fazer parte se tornando um adrinho ou madrinha da FSF e mudando realidades de uma forma incrível", enfatiza o DJ.

Com uma doação de apenas £15 por mês, um padrinho(a) ajuda a alimentar uma criança durante 30 dias. A doação pode ser feita por meio do débito direto ou PayPal. Para mais informações sobre os projetos da FWB acesse o site da Fraternity Without Borders.



Por Veridiana Jordão

Jornalista voluntária Assessoria de Imprensa FWB-UK | veridiana.fraternidade@gmail.com





1 visualização0 comentário