Ricardo Japinha, Além A Bateria - Por Uiara Zagolin

Atualizado: 5 de set.


Seu talento como baterista é extraordinário, porém o artista é 1001 utilidades atuando em diversas áreas."

Ricardo Di Roberto, muito conhecido com o nome artístico de “Japinha” por sua ascendência japonesa e italiana, nasceu em São Paulo e começou a tocar bateria na tenra idade de 11 anos. Sua carreira profissional como baterista surgiu com a banda CPM 22 no início dos anos 2000.


Como integrante da banda, apresentou-se em vários lugares pelo mundo todo e, também, participou do Rock In Rio em 2015 no aniversário de 20 anos da banda CPM22.

Como não poderia deixar de ser, em paralelo à sua atuação na CPM22, tocou por mais de dez anos junto a banda Hateen e gravou cinco álbuns e um DVD.


Foi vencedor do Grammy Latino em 2008, na categoria de melhor disco de rock brasileiro, com o CPM 22 e recebeu o troféu do MTV Video Music Brasil por três vezes consecutivas, como baterista da "Banda dos Sonhos".


Assim no ano de 2009, iniciou um projeto paralelo batizado de Arizona onde a banda contava exclusivamente com violões e voz, porém mudou seu formato de acústico para elétrico em 2014, adicionando guitarras, baixo e bateria. Então, nove anos após, 2018, a banda teve seu nome alterado para Dinossaurus, inaugurando uma nova fase com divulgação em todas as plataformas digitais. O repertório da banda, na sua maioria, conta com sons autorais e mais alguns covers, onde Ricardo Japinha toca guitarra e ainda assume os vocais principais.


Seu talento como baterista é extraordinário pois permeia por vários estilos musicais, mas o seu reconhecimento pelo público veio através do rock.


Sempre foi adepto da alimentação saudável, é ovolactovegetariano, além de não fumar, não ingerir bebidas alcoólicas e não fazer uso de drogas. Pratica diversos esportes: natação, basquete, corrida de rua, futebol, ioga e surf. E, com relação à vida acadêmica, possui quatro graduações universitárias: Administração de Empresa pela PUC, Turismo e Ciências Sociais pela USP e Filosofia pela Universidade Mackenzie.


Ainda, é defensor dos direitos dos animais, participando de campanhas e iniciativas de instituições que defendem a causa. Também, é voluntário e colaborador de ONGs, onde participa para ajudar entidades e associações no combate ao Câncer de Adolescentes e Crianças, pessoas com dificuldades física ou motora, entre outros projetos sociais.

Recentemente, Japinha também passou a fazer parte como apresentador do podcast Super Sônico (@supersonicocast).


0 visualização0 comentário